Edmilsonpsol
Portal do deputado federal Edmilson Rodrigues | psol

13 de agosto: Veja os atos já marcados no Pará contra o desmonte da educação

9 de agosto de 2019
Manifestação do dia 15 de maio, contra os cortes na educação. Crédito: Carolina de Oliveira

A portaria publicada pelo governo federal, através do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro no último dia (8), autorizando que a Força Nacional reprima os protestos de estudantes marcados para a próxima terça-feira (13), em todo o país, é mais uma tentativa de intimidação ao movimento, que já tem quase uma centena de atos programados em várias capitais e cidades do interior em todo o Brasil. A portaria 686, atende ao pedido do Ministério da Educação (MEC). Inicialmente, o documento estabelece ação na Esplanada dos Ministérios, mas pode ser estendida aos campi das universidades federais em qualquer cidade.

A manifestações de 13 de agosto serão o terceiro protesto realizado nacionalmente contra os cortes no orçamento da educação. O corte de 30% dos recursos para as universidades e institutos federais foi divulgado pelo MEC em abril. Para a União Nacional dos Estudantes (UNE), a medida demonstra falta de compromisso do governo Bolsonaro com a educação brasileira.

No final do mês passado, o ministro Abraham Weintraub determinou o bloqueio de mais R$ 348 milhões do orçamento da pasta, destinados à compra de livros didáticos e de literatura para escolas da educação básica – ensino fundamental, médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O 13 de agosto é considerado, também por entidades de profissionais da educação e movimentos sociais, um dia nacional de luta em defesa do ensino público e contra a reforma da Previdência. A Proposta de Emenda à Constituição que trata das mudanças nas aposentadorias, a PEC 6/2019, já passou por dois turnos de votação na Câmara dos Deputados. No Senado, se for aprovada como está, modificará drasticamente o acesso dos trabalhadores aos benefícios previdenciários. Se for modificada pelos senadores, tem de voltar a ser discutida na Câmara.

No Pará, os protestos estão marcados, até o momento, nas seguintes cidades, segundo a UNE. Novos locais ainda estão sendo confirmados.

Belém, 9h, Praça da República
Breves, 18h, em frente a Prefeitura
Santarém, 16:30, Praça São Sebastião
Oriximiná,18h, Praça Santo Antonio
Marabá, 7:30h, UNIFESSPA
Castanhal, 8h, Praça da Matriz

Leia também