Edmilsonpsol
Portal do deputado federal Edmilson Rodrigues | psol

Em destaque a favor de professores, Edmilson critica cinismo dos governistas

Em mais uma votação dos destaques à Reforma da Previdência, nesta sexta-feira (12), foi aprovado na Câmara dos Deputados um dispositivo que garante justiça às professoras e professores que já estão próximos da idade de aposentadoria. Segundo o destaque aprovado, a idade mínima de aposentadoria será cinco anos menor que a dos demais trabalhadores.

O deputado Edmilson Rodrigues (PSOL), que é professor da rede estadual e federal de ensino, afirmou que essa é uma pequena vitória. Edmilson criticou os deputados governistas, que na quarta-feira à noite, votaram contra regras mais justas para toda a categoria dos educadores brasileiros.

“Queremos o voto dos governistas, mas não sejam cínicos! Vocês acabaram, no projeto global, com a aposentadoria especial dos educadores. Mas, pelo menos, vamos diminuir um pouco os danos”, afirmou o deputado Edmilson, que dividiu a defesa com o deputado Ivan Valente, do PSOL de São Paulo.

“É, sem dúvida, uma redução de danos. Nós tentamos manter os professores com a situação atual e foi derrotado por muito pouco e porque se acabou antes a votação [na quarta-feira]. Mas, de qualquer jeito, a transição que era de 55 anos para mulheres foi para 52 anos, e de homens foi de 58 anos para 55 anos para quem está chegando perto de se aposentar. A situação dos professores e professoras é muito ruim. Na educação básica, 80% são mulheres que trabalham na educação básica do nosso país” afirmou o deputado Ivan Valente.

E concluiu: “Os que vieram aqui dizer que não é na aposentadoria que nós devemos compensar os professores, quero dizer que os professores não são compensados nunca! É o profissional mais mal pago do nosso país com piso em torno de R$ 2 mil. Na década de 70, para dar 40 horas semanas, se ganhava R$ 8 mil. Os professores merecem mais que aposentadoria. É salário digno, é formação continuada de professores, é segurança nas escolas, e particularmente, é o financiamento da educação”.

Leia também